Exposição Solaris

45708514_2146610868724335_54727798368942
46018263_2146611755390913_31582923040541
45874261_2146610762057679_84390419841857
45960879_2146611902057565_21231292979410
45878487_2146611802057575_61400694279970
45864660_2146613292057426_42363574807890
45860101_2146610975390991_85177417150821
45855312_2146611728724249_14464957005430
45850248_2146611505390938_83075923024784
45795004_2146613458724076_30007052294999
45793338_2146611012057654_84237725722895
45835147_2146611688724253_76086268937759
45846548_2146613598724062_29006714082017
45799739_2146612332057522_83188768265375
45783282_2146613815390707_69888792577452
45783260_2146614542057301_56980421570807
45782357_2146613538724068_44071672692940
45772526_2146613358724086_46955994788438
45768978_2146613615390727_14558926680799
45767883_2146611638724258_20494403722448
45745900_2146610512057704_27246286616081
45754038_2146610025391086_88454984605106
45748939_2146612085390880_16983197864102
45759629_2146612708724151_48338882044803
45739885_2146613925390696_91528663132851
45743056_2146610938724328_88794980358060
45736455_2146610665391022_63261688233344
45734191_2146612375390851_84849673522223
45736517_2146612638724158_67081539289213
45737149_2146612965390792_62847220496256
45727182_2146613152057440_87647814264249
45723481_2146613252057430_34994805933332
45719082_2146610918724330_67670072945478
45717308_2146614288723993_19174245494234
45711713_2146611675390921_53876972863797
45710338_2146611465390942_64541466381632
45717884_2146612042057551_64496980699518
45710321_2146612978724124_21242850092158
45702883_2146610435391045_42154047705983
45685686_2146612625390826_10841978059179
45706814_2146613168724105_10035919255859
45698901_2146611618724260_37013832177570
45700681_2146613072057448_54543691202774
45708020_2146613335390755_43317439670842

Solaris     Солярис    Сол Sol Ярис yaris     Solyaris

O que pertence ao Sol. Solaris é uma dobra de tempo e espaço de onde proliferam imagens. É um planeta coberto pela vastidão de um único oceano, em reflexão. “Um mundo inteiro refletido como que numa gota d´água”. Uma imagem, como definida por Andrei Tarkovski.

Solaris é um filme sobre o tempo. Tempo como categoria subjetiva. Tempo vivido. Fixado, impresso em “nossa alma como uma experiência situada no interior do tempo”. Tempo da memória. Subversivo, deslocando-nos do pretenso e ilusório domínio de nós mesmos, da exata certeza daquilo que é real. Situando em jogo de espelhos, imagens, pelo desdobramento de um mesmo eu-outros em projeção e enfrentamento. Solaris é um filme sobre a imagem.

Solaris é uma exposição de imagens fixadas, impressas como experiências únicas e singulares no decurso do tempo. Tempo vivido, tempo da memória, tempo fílmico. Jociele Lampert apreende instantes, gera imobilidades prenhes de potência. Momentos únicos lançados ao infinito. A imagem como “impressão da verdade”, como seu vislumbre. Ato de “observação precisa da vida”, de observação precisa de outros desses atos. Imagens-haicais que resultam da experimentação de outro eu. Também poeta. Encontro de Jociele e Andrei proliferando imagens. Apreendendo, aprendendo e tornando presente.  Tornando real, pela experiência da materialidade, pelo entendimento da imagem como corpo, a potência delicada, frágil, rarefeita, efêmera, volátil, imprecisa, intangível, da matéria da qual são feitos o tempo, a memória, o sonho, as imagens, a vida.

As imagens de Jociele Lampert, por sua realidade, por sua materialidade, por sua imprecisa precisão, nos suspendem de um tempo outro que não o nosso tempo subjetivo, tempo vivido. Nos devolve ao sentido da experiência, única, singular, tal como a configurava John Dewey. Fixando experiências, nos expõe às nossas próprias. Experiências de tempo, memória, sonhos, imagens. Experiências de arte. Experiências de vida.

 

Dra. Rita Luciana Berti Bredariolli (UNESP).

 

 

A artista produziu séries de pinturas, desenhos, monotipias e serigrafias, que envolvem imagens como referência de filmes do cineasta Andrei Tarkovski. Jociele nos conta que todos temos um Solaris, um lugar, espaço, tempo ou paisagem para onde retornamos, onde nossos devires tornam-se possíveis. Neste sentido, a paisagem assume por meio da pintura ser maior que um tema de pesquisa.

 

“Eu aprendi sobre cor e diferentes formas de olhar para a pintura, assistindo filmes do Tarkovski nos anos 90, quando era aluna do professor pintor Alphonsus Benetti (UFSM) no Ateliê 1336. Dos anos 90 até então, estudando sobre colagem (conceito desenvolvido em minha Tese), estudando imagens da cultura visual e da arte contemporânea, compreendi que a paisagem é mais que um tema para minha pintura, é o lugar para onde eu sempre retorno e onde é possível construir minhas metáforas, ou seja, um Solaris". 

 

Jociele destaca que a vida e a obra de Andrei Tarkovski inspira a produção de outros artistas: “Todos temos Solaris e Nostalgias, é para onde retornamos ou de onde nunca saímos. Quando assistimos a um filme, e algo nos apreende, exercitamos nosso modo de olhar, e quando criamos algo que é produzido fruto dessa experiência, adensamos nossa percepção de si e do Outro, é por isto que se chama Arte e Arte Educação, por que nos educamos com as imagens, que nos atravessam e cruzam nossa experiência”. 

 

Na exposição há imagens de diferentes filmes do cineasta, revistas por meio de monotipias, serigrafias, desenhos e pinturas. "É uma exposição de pintura”, diz a professora Jociele. Interessada em adensar a materialidade pictórica do processo de criação das obras apresentadas. “São técnicas que desenvolvo como pesquisa em meu grupo de estudos, o Estúdio de Pintura Apotheke”. Durante o período da exposição, será oferecido a comunidade interessada, micro prática em monotipia e em foto pintura, técnicas que a professora Jociele aborda em sua obra.

 

 

Sobre a professora Jociele:

 

A professora desenvolveu pesquisa como professora visitante no Teachers College na Columbia University na cidade de New York como Bolsista Fulbright (2013), onde realizou estudo intitulado: ARTIST'S DIARY AND PROFESSOR'S DIARY: ROAMINGS ABOUT PAINTING EDUCATION. É Doutora em Artes Visuais pela ECA/USP (2009); Mestre em Educação pela UFSM (2005). Possui Graduação em Desenho e Plástica - Bacharelado em Pintura, pela Universidade Federal de Santa Maria (2002) e Graduação em Desenho e Plástica Licenciatura pela Universidade Federal de Santa Maria (2003). Professora Associada na Universidade do Estado de Santa Catarina. Atua no Mestrado e Doutorado em Artes Visuais PPGAV/UDESC na Linha de Pesquisa de Ensino das Artes Visuais e na Graduação em Artes Visuais DAV/UDESC. É membro do Grupo de Estudos e Pesquisa em Arte, Educação e Cultura UFSM/CNPq. Membro/Líder do Grupo de Pesquisa Entre Paisagem UDESC/CNPq. Coordenadora do Grupo de Estudos Estúdio de Pintura Apotheke (UDESC). Tem experiência na área de Artes Visuais, atuando principalmente nos seguintes temas: pintura, arte e educação, formação docente. É membro associado da ANPAP.

 

Para saber mais acesse:

https://www.apothekeestudiodepintura.com

Exposição individual da artista professora Dra. Jociele Lampert na Sala de Exposições Claudio Carriconde na UFSM - RS, Centro de Artes e Letras. Na exposição forma mostradas pesquisas recentes da professora com desenhos, fotopinturas e monotipias. No dia 05 de novembro foram realizadas oficinas/micropráticas de monotipia e fotopintura.